domingo, 23 de março de 2014

A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS



Após assistir o filme  A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS, lembrei-me dos meus versos e todos os escritos que tenho, muitos já registrados na Biblioteca Nacional deste país outros lá em Portugal onde ainda não pus os pés, mas as palavras...
Comecei a refleti sobre todas as transformações que operei em minha vida, a luta por um amor que venci, a nova e doce vida de avó e deserdei do meu ofício de professora para a tristeza não me matar... Acho que transformei minha poesia em flores e lacinhos, queria meus livros nas mãos das crianças, enquanto isso não acontece vou deixando um pouquinho de mim na fotografia das famílias.
Minha poesia não morreu como eu as vezes imagino...ela está nas longas noites de criação para decorar a felicidade das pessoas.
Estou cada dia mais completa e nem sei direito lidar com a felicidade, o nosso mundo é meio avesso, nossa cultura é derrotista e incrédula, vivemos em busca da felicidade, mas a maioria esmagadora não acredita nela. Eu acredito! Eu a tenho em cada instante da minha vida! Não importa que ninguém acredite! Não importa...o que importa é procuro fazer tudo que me faz feliz, do meu jeito.

Nenhum comentário: